Deuses da Lusitânia e Vetônia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Deuses da Lusitânia e Vetônia

Mensagem  M· Diniz Nemetios em Qui Maio 05, 2011 4:04 pm

DEVSES DA LVSITÃNIA E VETÔNIA
(por Marcílio Diniz Nemetios)

·(A)Erbinā (AERBINA, ERBINA, ERBINIS)
Etim.: *erbā “cervo, corça” > *erb-inā “corcinha, pequeno cervo”
Nat. Func.: deusa regional-tribal, associada aos animais silvestres, provavelmente a lua crescente ou a constelações, caça e talvez a magia, proteção doméstica.
Símb.: corça, armas de caça (?), florestas inóspitas (?)

·Aetios (AETIOS)
Etim.: IE *ay-to- “porção, parte, período” > *aytyo- “o que destina a idade, delimita as eras, tempo de vida”
Nat. Func.: divindade tribal, provavelmente associado a geração, tempo de vida, cômputo do tempo e de função primordial; talvez possa ter alguma relação com o nascimento, nutrição e crescimento do que vive, assim como o definhamento e morte, aos ciclos sazonais e a magia.
Símb.: ?

·Arantiā (ARENTIA , ARANTIA)
Etim.: vd. Arantios
Nat. Func.: divindade supra-regional tribal, associada a prosperidade e proteção (provavelmente mais mágica que militar) familiar ou do clã, possivelmente a fartura, alegria e saúde da casa.
Símb.: cornucópia (?), porta da casa (?), louro (?)

·Arantios (ARENTIOS, ARANTIOS)
Etim.: *arantyo- "corrente, impetuoso" ou de *argantyo- "prateado, brilhante"
Nat. Func.: deus supra-regional tribal, associado a prosperidade, fartura e proteção familiar ou do clã, a empreitadas e possivelmente ao comércio, proteção nas viagens, salvação de dificuldades imanentes e transportes em geral relacionados com a unidade familiar.
Símb.: cavalos, transportes (?), dinheiro (?)

·Aras ou Aros (ARAS, AROS; dat. ARABO, ARASEI COLLOVESEI CAELONI COSIGO, HARASE)
Etim.: *aro- "agricultura", *ar-ās “campos aráveis”
Nat. Func.: divindade regional, associada a fertilidade dos campos, plantações, mudanças sazonais, assim como provavelmente a confluências, tecnologia, fecundidade e instrumentos agrícolas, prosperidade, colheitas, fartura e sustento comunitário. Talvez tenha alguma relação com o deus Harācos.
Símb.: arado (?), confluência (?)

·Ariconā (ARICONA )
Etim.: *φari-kounā “a que está a frente da matilha [de cães], bando” ou “maravilhosa”, ou *φari-kunā “a alta, superior”
Nat. Func.: divindade tribal ou local, provavelmente associada a proteção tribal e à guerra, a cães e talvez aos acessos aquáticos locais ao outromundo (e estaria também associada aos ofícios?).
Símb.: cães selvagens (?)

·Ateginā (ATECINA, ATTEGINA, ATTAEGINA, ATTAECINA, ATAECINA, ADDAECINA, ADECINA, ADEGINA etc.)
Etim.: *ati-genā "renascida" ou de *ati-knā “a renasceu, nasceu de novo”
Nat. Func.: deusa supra-regional (adorada também na Vetônia e principalmente mais ao sul entre os Celtici) tribal, associada ao renascimento (em especial o primaveril), ao viço, fertilidade, providência divina (o que a associa a compensações em geral, inclusive vinganças ctônicas), à descida ao outromundo por ocasião do outono, à noite, assim como provavelmente esteja associada à lua, beleza, sexualidade e talvez a magia relacionada ao amor.
Símb.: flores, frutos de outono, cabrito, ramo de cipreste, romã (?)

·Bandus (BANDVS, BANDIS, BANDVA, BANNIS)
Etim.: *bandi- "pingo, fluir, manar", ou *bend- "ligar, atar" ou *bandu- "melódico, sonoro", ou ainda do IE *gʷheid- "forte, inchado"
Nat. Func.: deus tribal-comunitário e supra-regional, associado a proteção armada da comunidade, lar, família, a guerra, laços e compromissos comunitários (o que inclui provavelmente, justiça e contratos), educação dos guerreiros e virtudes morais, proteção dos campos e fontes comunitárias de sobrevivência (o que inclui arroios, riachos, etc.).
Símb.: caninos, torque, víria (?) , caprinos (bode em especial?)

·Besenclā (BESENCLA)
Etim.: do IE *bhes- “espalhar, borrar, soprar” ou de *gʷes- “extinguir”; ou ainda de *gʷheiǝ- “veia, base, sustentáculo”; daí *bhes-klā- “que amontoa” ou *gʷes-klā- > *bes-en-klā “que põe a extinção, extingue”
Nat. Func.: divindade local, provavelmente associada a proteção comunitária (talvez mais dos campos e das casas), e possivelmente à erradicação de pragas e afugentamento de mazelas agrícolas.
Símb.: ?

·Broeneiā (BROENEIA)
Etim.: talvez do IE *gʷhren- “ímpeto, mente” ou de *bhroisqo- “acre, severo, amargo” ou do PrC *bronyā “proa, seio”
Nat. Func.: divindade local, provavelmente associada à fertilidade (talvez mais no campo mental, ou seja, a inspiração), proteção armada e talvez à iniciativa, ao aprendizado e execução de ofícios, e à chama doméstica.
Símb.: ?

·Cēliborcā (CELIBORCA)
Etim.: IE *keili-bhorg-ā “estreito, garganta alta/do bastão”?; ou do PrC *keilyā-bergā “companheira de pilhagem, assalto”
Nat. Func.: divindade local, provavelmente associada ao sucesso militar local, conquistas e a proteção em geral da tribo.
Símb.: ?

·Corvā (CORVA)
Etim.: *korwā “grua, escura, acinzentada, curva” ou de *koro-wā “a da tropa, exército”
Nat. Func.: divindade local, provavelmente associada as batalhas, defesa e proteção local, acesso ao outromundo, morte e talvez a profecia e mensagens divinas em contextos bélicos.
Símb.: corvo

·Cossus (COSSVS, COSIS, COSVS, CVSIS, CVSVS)
Etim.: *kotsu- "que causa incisão, corte" ou *kond-s-u- "o que flameja, queima" ou *koχsu- "articulador"
Nat. Func.: deus tribal e supra-regional, associado a guerra, liderança no campo de batalha, virtudes morais guerreiras, fúria (provavelmente, ao ardor brioso e frenesi guerreiro), a diplomacia e unidade militar; aos bosques sagrados e a proteção dos santuários, provavelmente associado a minas (a ferraria e trabalho em metal) e zonas costeiras (ao mar e aos ventos).
Símb.: cão, espada (?), lobo (?) , caprinos (?)

·Crougiā (CROVGA, CROVGEA, COROVGIA, CROVCIN?)
Etim.: *krouk-yā "aquele do monte, pilha de pedras"
Nat. Func.: divindade supra-regional, associada aos montes, penhascos, lajedos, fronteiras e terrenos, as mudanças sazonais, riqueza do solo, bênçãos e prosperidade; e provavelmente à magia, as forças incontroláveis da terra (pragas, animais selvagens, etc.) e ao outromundo.
Símb.: monte de pedras, chifre (?), porco (?), teixo (?)

·Dēvā (DEVA)
Etim.: *deiwā “deusa”
Nat. Func.: teônimo que pode expressar uma designação geral abstrata ou mais provavelmente uma divindade local-tópica; provavelmente associada à terra, proteção local, fertilidade, nutrição (o que envolve o aspecto maternal e lactante e poderia ser um aspecto das Matres), prosperidade e talvez aos acessos aquáticos ao outromundo (por um epíteto como *ammā “a que lava”).
Símb.: ?

·Eniragillos (ENIRAGILLOS)
Etim.: *eni-φragy-ilo- “que está na sensualidade”?
Nat. Func.: divindade local-tópica, provavelmente associada à fertilidade, sexualidade (e ao apaixonar-se?).
Símb.: ?

·Harācos (HARACOS, ARACOS, AHARACOS)
Etim.: do IE *arenko- “cereal, certo tipo de grão”, PrC: *aranko- “grão, cereal”
Nat. Func.: divindade supra-regional tribal, associada aos grãos, plantações, cereais, aos ciclos vegetais em geral; provavelmente à fermentação (e daí bebidas e pão), fartura e prosperidade. Talvez tenha alguma relação com o deus Aros.
Símb.: grãos, silos (?), pão (?), ratos (?)

·Icconā (ICCONA)
Etim.: *yīkk-onā "grande cura" ou *yīkk-awnā "que cura, curandeira" ou menos provavelmente *ekʷ-onā - "Epona"
Nat. Func.: divindade local, provavelmente relacionada com a deusa gaulesa Icaunā, associada à cura, medicina, fontes e nascentes sagradas; talvez se relacione também ao sol e riachos.
Símb.: ?

·Igaedos (IGAEDOS)
Etim.: *yagi- “gelo” > *yagi-to- > **igay-to- “gélido” ou da raiz IE *eig- > *eig-to- “acompanhado; berro, lamento”
Nat. Func.: divindade local, provavelmente o patrono da tribo dos Igaeditanos, talvez associada a mudança climática para o inverno (talvez a a certo grupo de constelações e aos sinais celestes da chegada do inverno), geadas e nevoeiros.
Símb.: ?

·Lacibiā (LACIBEA, LACIPEA)
Etim.: *φlā-kekʷ-yā “a que envolve o pântano”; ou *lak-kebb-yā “a que ata o jardim”
Nat. Func.: divindade regional, provavelmente associada a proteção doméstica e familiar, laços, e talvez a esfera celeste (a determinadas estrelas, o que possivelmente implique num aspecto propiciador sazonal ou vegetal).
Símb.: ?

·Laebos (LAEBOS, LAPOS, LABBOS, LAEPOS)
Etim.: IE mais provavelmente de *lāy- “cobrir, ocultar”, ou talvez de *labh- “sorvo, gole; mascado”; ou *φlab- “balbucio” ou ainda de *lep- “largo, gordo”
Nat. Func.: divindade regional-tribal, associado provavelmente ao vigor, força, assim como provavelmente a boas condições atmosféricas, nuvens, confrontos, magia e talvez de um aspecto sinistro.
Símb.: ?

·Lāniānā (LANEANA, LANEANIS)
Etim.: *φlānyā-nā “a muito completa, plena; grande cheia”
Nat. Func.: divindade tribal-regional, associada as fontes, enchentes, nascentes, além de possivelmente associada à fertilidade, lua cheia e talvez a sexualidade e magia.
Símb.: lua cheia (?), enchente (?) vaca (?)

·Lurū ou Lurunis (LVRVNIS)
Etim.: IE *low-ron- “lavatório, riacho que banha”; ou de *φlāro-n- “chão, território”
Nat. Func.: divindade local-tópica, provavelmente associada com o território local (Cavernães, Viseu), à terra local (e talvez a soberania local), proteção, cura e prosperidade.
Símb.: banho natural (?)

·Mārātis Boros ou (MARATIS BOROS)
Etim.: *mār-āti- borro- “magnânimo largo”, ou talvez ainda seja uma corruptela de Mars Boros.
Nat. Func.: divindade regional provavelmente associada aos campos, planícies, ao pasto, gado e talvez a proteção, guerra e a aspectos celestes.
Símb.: planícies (?), gado (?)

·Matres (MATRES)
Etim.: *matīr "mãe"
Nat. Func.: divindades supra-regionais (adoradas também na Bética-Vetônia), geralmente apresentadas em trio, associadas a maternidade, nutrição, amamentação, fartura, proteção familiar e das esposas; talvez estejam associadas também ao destino, morte e a maternidade tribal. Há quem defenda que cada uma das três Matres possuíam funções diversas com base na epigrafia da Gália (vejam aqui), sendo uma propriamente associada a maternidade, amamentação e gravidez, outra (de aspecto anciã de cabeça completamente coberta) velando sobre os costumes familiares, partos e talvez o destino e morte, e outra associada a fartura e prosperidade doméstica em geral.
Símb.: trio de mulheres de roupas longas com um seio amostra, parteiras, cobras (?), leite (?)

·Mavos (MAVOS)
Etim.: IE *mā- “aceno com a mão, gesto; engano” > *māwo- “que acena; manejável?”
Nat. Func.: divindade tribal-local, possivelmente associada ao manejo de armas, guerra, domesticação de animais (cavalos, em especial?) e talvez à metalurgia ou carpintaria.
Símb.: ?

·Moricilos (MORICILOS)
Etim.: *mori-keilyo- "companheiro do mar, marinheiro" ou *mori-kelyo- "morte marítima" ou ainda de *mori-kello- “golpeador do mar”
Nat. Func.: divindade ou epíteto local de um deus supra-regional, associado provavelmente aos ventos, nuvens, ao mar, ao céu, a batalha e talvez a fertilidade e renovação sazonal.
Símb.: touro, mar, clava ou martelo (?)

·Munis (MVNIS, MVNITIS, MVNITIA, MVNIDIS)
Etim.: *monit- "pensadora, desejosa" ou *monyo-t- "a da montanha"
Nat. Func.: divindade regional, provavelmente associada à chama doméstica, lar, ofícios, artes e trabalhos intelectuais (e a inspiração), justiça, batalha (e acesso ao outromundo) e talvez a estrela vespertina.
Símb.: lança e escudo (?)

·Naviā (NABIA, NAVIA)
Etim.: *nawyā "a que flutua sobre a água" ou *nawi-yā "a do vale" ou nāw-yā "vale em forma de nave"
Nat. Func.: deusa supra-regional triforme, associada (1) a soberania, comando, plenitude da terra, providência natural/sazonal; (2 - aspecto *Coronā) proteção militar, Outromundo e acessos aquáticos a este (inclusive fontes e poços), e (3 - aspecto *Nymphā) florestas e lugares ermos, animais selvagens, lua, viço primaveril (provavelmente também associada a partos/nascimentos e a castidade ou em contra partida a fecundidade sexual e fertilidade) .
Símb.: pomba (branca), maçã (?), lua crescente (?), bosque, rio e monte (?), coelho-lebre (?)

·Nētos (NETOS, NETVS, NETO, NEITIN?)
Etim.: *neito- "fúria, ímpeto violento" ou *nītu- "luta"
Nat. Func.: divindade supra-regional (também adorada na Tartésia), associada à fúria guerreira, iluminação, guerras, virilidade e provavelmente ao sol, fertilidade solar, fecundação e talvez ao aspecto armado da soberania e justiça.
Símb.: brilho guerreiro, mão direita (?), espada (?) touro (?)

·Quangeios (QVANGEIOS, QVAMGEIOS)
Etim.: IE *kuwón-C > *kuwan-kē-yo- "canino" (PRÓSPER, 2002, p. 310) ou do PrC *kuφo-angyo- "estreito/passagem do monte"
Nat. Func.: divindade supra-regional, associada a fertilidade, fecundidade do solo, terras e prosperidade; provavelmente associado ao outromundo, regeneração, mudanças dos ciclos sazonais, talvez a magia e ao governo no mundo dos mortos; talvez desempenhe alguma função primordial.
Símb.: caldeirão, clava/martelo (?), maçã (?)

·Rēus ou Ioviā (REVS, REVVS, REOS, REVIS/IOVEA, IOVIA)
Etim.: *reu-, rēu- "murmúrio, bramado, rio"; *rewǝ-, *rewu- "espaço aberto" ou *rewi- "intervalo de tempo, duração"; *dyowi-yā "aquele do dia, diurno" ou *yewyā "canal, córrego"
Nat. Func.: deus supremo e supra-regional (de muito provável função primordial na cosmogonia), associado ao céu, nuvens e as águas celestes (e provavelmente ao trovão) e águas benéficas em geral (incluindo termas, quando recebe o epíteto *borman-iko- “borbulhante”), ao cômputo do tempo (pela lua e astros em geral), mudança das estações e fertilidade de origem celeste, assim como a vitória e equilíbrio celeste.
Símb.: roda raiada, nuvem pesada (provavelmente o raio e talvez uma clava), montanha, rio colérico, touro e o carvalho.

·Trebarūnā ou Trebarunis (TREBARVNA, TREBARRONA, TREBARVNIS, TRIBORVNNIS)
Etim.: *trebā-rūnā "segredo da casa" ou *trebā-aro-onā "o grande arado da casa" ou *treis-baruni- "três vezes pesada, forte" ou *treis-baroni- "a três vezes furiosa"
Nat. Func.: deusa regional, associada a magia, inteligência (o que envolve divinação), soberania e liderança; a vitória, conquistas militares, guerras e provavelmente a prosperidade tribal e civil, fertilidade e talvez a sexualidade.
Símb.: louro (?)

·Trebopalā (TREBOPALA)
Etim.: *trebā-kʷalo- "a espada da casa" ou *trebā-φallo- "altar, rocha da casa, alicerce"
Nat. Func.: divindade local, associada a proteção armada doméstica, familiar e da propriedade, talvez associada a proteção do que está em crescimento (animais, plantações, crianças da casa) e ao afugentamento das mazelas locais.
Símb.: espada (?), pedra fundacional (?)

-Deuses específicos da Vetônia:

·Ilurbedā (ILVRBEDA)
Etim.: *elur-bedā “leito, cama do cisne”; menos provavelmente de *elur-weid-ā “a que conhece o cisne”
Nat. Func.: deusa tribal (também adorada na Lusitânia), possivelmente associada a condução ao outromundo, mortos e a assistência aos defuntos (o que inclui os serviços funerários), talvez associada também a noite e certas constelações, como à maternidade.
Símb.: cisne, ganso, pássaros aquáticos em geral (?)

·Miraros (MIRAROS)
Etim.: IE *merǝ-ro- “brilhador, lumedor”; ou talvez do PrC *mero(-ro)- “selvagem, louco”
Nat. Func.: divindade tribal-local, associada ao sol, ao verão, assim como possivelmente às atividades intelectuais e artísticas (música, ofícios, profecia) e talvez a cura e regeneração (o que talvez o associe à fontes e águas benéficas).
Símb.: sol (?), lira (?)

·Salāmātis ou Salāmās (SALAMATIS/SALAMAS)
Etim.: *salā-māti- "campestre, dos planaltos", *salā-m-āti- "dos charcos, pantaneiro"
Nat. Func.: deus supremo local (de muito provável função primordial na cosmogonia), associado ao céu, nuvens e as águas celestes (e provavelmente ao trovão), à mudança das estações, aos montes altos e a fertilidade de origem celeste; assim como possivelmente à justiça e soberania.
Símb.: planalto, montanha erma, céu, roda raiada

·Togā (TOGA, TOCA)
Etim.: *togyā “cobertura, proteção”
Nat. Func.: deusa regional tribal, associada à proteção comunitária e familiar, a paredões pétreos e penhascos, possivelmente associada à firmeza e solidez.
Símb.: casa, escudo (?) penhasco (?)

·Togōtis (TOGOTIS)
Etim.: *togo-āti- "cobridor, protetor" ou *tungo-āti- "jurador"
Nat. Func.: deus supra-regional (também venerado na Celtibéria) associado a proteção comunitária, guerra, firmeza em geral, assim como possivelmente aos juramentos, lealdade e virtudes morais guerreiras em geral, e talvez a coesão social, justiça e a política.
Símb.: escudo (?)

·Turculā (TVRCVLA)
Etim.: *turko-ulā “pequeno javali, porco selvagem” ou ainda de *turik-ulā “pequena depressão no terreno, vale; vazante”
Nat. Func.: divindade local-tópica, associada provavelmente aos fluxos de água locais, a proteção e fertilidade local; ou talvez a fertilidade animal e prosperidade das propriedades (o que inclui os animais) ou selvageria.
Símb.: leitoa (?)

·Vriloucos (VRILOVCOS)
Etim.: *weri-leuko- "lugar brilhante" ou *upher-leuko- "muito brilhante"
Nat. Func.: divindade local provavelmente associada a salvação, cura, conquistas e talvez ao céu, promontórios, campos abertos e pradarias (talvez ainda associada a cura por ervas e plantas silvestres e/ou a constelações).
Símb.: céu claro com poucas nuvens (?)

Teônimos vetônicos que talvez sejam epítetos:
·Caesariciaecos (CAESARICIAECOS)
Etim.: *kassarā-iky-āko- “o da chuva de granizo, raios”? Mais provavelmente do IE *kaisari-ky-āko- “aquele relacionado aos cabelos”
Nat. Func.: provavelmente seja um epíteto local relacionado à um deus supremo, seja a soberania e governo, ou as tempestades, granizo e raios.
Símb.: ?

·Cantunaecos (CANTVNAECOS)
Etim.: *kanχtu-n-āko- “o grande do arado, do lavrar a terra” ou ainda de *kanto-n-āko- “o grande relacionado às hostes, assembleias”
Nat. Func.: talvez seja um epíteto local ou divindade, relacionada aos campos, plantações e/ou a defesa militar, liderança e coesão tribal.
Símb.: campos cultivados, arados, enxadas (?), espadas (?)

·Favilios (FAVILIOS)
Etim.: IE *bhā- “brilho, luz” > *bhā-w-il-yo- “o que é radiação, luz”; ou do PrC *waili-yo- “aquele que é lento”; ou talvez algo relacionado à *awillo- “agradável, gentil”
Nat. Func.: divindade ou epíteto local, talvez associado a radiação celeste (da lua ou do sol) no aspecto benfazejo e propiciador, talvez também esteja associada a clareza e iluminação (no âmbito intelectual).
Símb.: facho de luz (?)

·Natricos (NATRICOS)
Etim.: *natrik- “serpente, cobra” > *natriko- “relacionado a cobras, serpentes”
Nat. Func.: divindade ou epíteto local associado as serpentes, a renovação, outromundo, submundo e possivelmente aos aspectos selvagens e as forças incontroláveis do submundo.
Símb.: cobras

·Vaelicos (VAELICOS, BAELICOS, VELICOS)
Etim.: *waill-iko- "lupino, em forma de lobo"
Nat. Func.: divindade regional (ou talvez um epíteto) associado aos lobos, e provavelmente aos animais selvagens, bosques, lugares inóspitos; talvez esteja associado ao afugentamento de males (e a cura e divinação, se tiver alguma relação com Endovellicos).
Símb.: lobo, pele de lobo (?)

-Deuses específicos dos Celtici (Sul da Lusitânia).

·Carnios (CARNEOS )
Etim.: *karnyo- “o de cascos, cascudo; o que é rochoso”
Nat. Func.: divindade local associada aos montes rochosos, animais cascudos, cornos e muito provavelmente aos animais e lugares selvagens, as forças naturais incontroláveis e por vezes sinistras; assim como talvez aos acessos ao outromundo.
Símb.: cascos, caprinos (?), cervos (?)

·Endovellicos (ENDOVELLICOS, ENDOVOLECOS, ENNOVOLICOS, ENNOVELICOS, ENOBOLICOS, INDOVELLICOS, etc.)
Etim.: *endo-wello-iko- "benéfico por dentro; o que vê por dentro; que quer dentro de si"
Nat. Func.: divindade local-tópica, associada à cura, regeneração, divinação, a rusticidade, simplicidade, retidão e força submúndica benfazeja; associado também as matas, outromundo, animais selvagens e provavelmente às ervas medicinais, poder solar afugentador de mazelas e a fonte ou curso d'água local (em São Miguel da Mota, Alentejo).
Símb.: javali e animais silvestres em geral, pinho, cálice, galho ou bastão, face serena madura barbada, lobo ou pele de lobo (?)

·Ocrimirā (OCRIMIRA)
Etim.: *okri- “borda, limite” > *okri-m-irā “fronteiriça”; ou de *okri-merā “fronteira selvagem”; ou ainda de *ok-krimo- “fortemente afiado” > *ok-krim-irā “a que fortemente afia; da força aguda”
Nat. Func.: divindade local associada as fronteiras naturais, montes e provavelmente a locais rochosos, montes de pedra, a condução ao outromundo, morte e talvez à conflitos, magia e a noite (e a lua escura?).
Símb.: fronteira, marco ou monte de pedras (?)

·Rūnesos (RVNESOS CESIOS)
Etim.: *rūnā-yso- “misterioso, enigmático” ou do IE *rūn-eso- “bramidor, berrador, barulhento”
Nat. Func.: divindade local, provavelmente associada a conquista, vitória, a liderança, magia (talvez de maior cariz bélico/ofensivo) e talvez ao brilho (aos raios? E as tempestades de verão?), a prosperidade, fartura e comunicações em geral.
Símb.: lança ou dardo

Possível modelo panteônico.

1. Deuses primordiais, de acordo com o modelo Indo-Europeu:
*Dyēus Ph2tēr – Rēus | Salāmātis
*Deiwos – Ioviā ou Rēus, Moricilos? | Salāmātis ou Vriloucos?
*Plth2wih2 - Naviā | Lāniānā | Ilurbedā?
*Perkʷunos - Rēus ou Quangeios? | Caesariciaecos? | Rūnesos
*H2eus(os) – Aetios? | Miraros ou Favilios?
*PriHeh2 – Matres, Dēvā, Lacibiā? Eniragillos? | Ateginā?
*Deh2nu- - Lurū ou Dēvā?
*Welnos - Crougiā, Igaedos? | Vaelicos? | Endovellicos?
*Gêmeos: *Manu- & *Yemo- (*Aryomen-) - ? | *Seh2ul & *Meh1not – Icconā, Nētos & Lāniānā ou Naviā, Erbinā?; Miraros & Favlios ou Vriloucos?; Endovellicos & Ateginā? | *Ekʷo- Arentios e Arantiā?
*H2epom Nepots – Moricilos?
*Peh2uson – Natricos | Carnios

2. Deuses tribais de acordo com um modelo Céltico continental:
*Guerra, proteção, política, alianças, cidadania: Bandus | Togōtis (>Toutātis)
*Guerra, exércitos, justiça, iluminação, nuvens (e talvez mar), liderança: Nētos | Cantunaecos | Rūnesos (>Noudans, Camulos)
*Maternidade, família, destino, partos, morte, virtudes conjugais, prosperidade doméstica: Matres (>Matres/Matronās)
*Metalurgia, fermentação, agricultura: Harācos/Aratribos, Mavos ou Cossus | Harācos (>Gobannū e Camulos)
*Negócios, dinheiro, prosperidade, conquistas, caminhos, habilidade: Arantios, Collovos | Rūnesos (>Lugus)
*Eloqüência, bom tempo, força, magia: Aetios? Laebos (>Ogmios)
*Música, profecia, artes, cura solar, águas santas: Miraros | Endovellicos (>Grannos, Belenos)
*Medicina, início nos ofícios/inspiração, chama doméstica: Broeneiā, Munis, Icconā (>Sūlis, Brigindū)
*Maternidade, nutrição, prosperidade doméstica, partos: Naviā ou Arantiā? Lacibiā, Trebopalā | Ilurbedā (>Rosmertā, Eponā)
*Sedução, magia feminina (e profecia), fertilidade primaveril e ligada a vegetação e animais selvagens: Erbinā, Ateginā, Besenclā, Corvā | Turculā (>Nemetonā)
*Magia, guerra, liderança, proteção, ímpeto guerreiro feminino: Ariconā, Cēliborcā, Trebarūnis | Togā | Ocrimirā (>Catuboduā)

3. Deuses tópicos
*Broeneiā
*Devā
*Eniragillos
*Lurū
*Turculā
*Endovellicos

a) deuses de maior devoção na antiguidade na Lusitânia e Vetônia:
-Lusitânia noro-central: Rēus, Bandus, Quangeios, Naviā, Arantios e Arantiā, Trebarūnis, Aros/Harācos, Crougiā, Laebos e Erbinā
-Lusitânia do Sul (Celtici): Endovellicos e Ateginā
-Vetônia: Salāmātis, Togā, Vaelicos, Ilurbedā e Harācos.

-----
Fontes:

BONNAUD, Christophe. Syncretismes et divinités classiques en Vettonnie sous le Haut-Empire. In REVISTA PORTUGUESA DE ARQUEOLOGIA, nº 7, 2004.
DELAMARRE, Xavier. Dictionnaire de la langue gauloise. Paris: Editions Errance, 2003.
D'ENCARNAÇÃO, José; GUERRA, Amílcar. The current state of research on local deities in Portugal. In: ARENAS-ESTEBAN, J. A. (org.). Celtic religion across space and time. Toledo: Junta de comunidades de Castilla-la Mancha, 2010.
HISPANIA EPIGRAPHICA: http://www.eda-bea.es/
MALLORY, J. P.; ADAMS, D. Q. The Oxford introduction to Proto-Indo-European and Proto-Indo-European world. Oxford: Oxford University Press, 2006.
MATASOVIĆ, Ranko. Etymological dictionary of Proto-Celtic. Leiden/Boston: Brill, 2009.
PEDREÑO, Juan C. O. Los dioses de la Hispania céltica. Madrid: Universidad de Alicante, 2002.
__________________. Teónimos y pueblos indígenas hispanos: los Vettones. In revista IBERIA: revista de la Antigüedad, nº 4, 2001.
POKORNY, Julius. Proto-Indo-European Etymological dictionary: A Revised Edition of Julius Pokorny’s Indogermanisches Etymologisches Wörterbuch. Indo-European Language Association, 2007
PRÓSPER, Blanca M. Lenguas y religiones prerromanas del occidente de la Península Ibérica. Salamanca: Universidad de Salamanca, 2002.
REDENTOR, Armando. Panorama da Teonímia Pré-romana em Trás-os-montes Oriental. In: D'ENCARNAÇÃO, José (org.). Divindades indígenas em análise. Coimbra/Porto: Centro de estudos arqueológicos das Universidades de Coimbra e Porto, 2008. p. 105-124.
Revista E-KELTOI. Volume 6: the celts in the Iberian Peninsula: http://www4.uwm.edu/celtic/ekeltoi/volumes/vol6/index.html
Revista PALAEOHISPANICA: revista sobre lenguas y cultura de la Hispania Antigua, números 5-10. Zaragoza: Instituicíon "Fernando el Católico", 2005-2010.
Revista STUDIA CELTO-SLAVICA. Łódź: Societas Celto-Slavica, 2009.
UNIVERSITY OF WALES. Proto-Celtic - English wordlist. 2002: http://www.wales.ac.uk/en/CentreforAdvancedWelshCelticStudies/ResearchProjects/CompletedProjects/TheCelticLanguagesandCulturalIdentity/CelticLexicon.aspx
WEST, M. L. Indo-European Poetry and Myth. Oxford: Oxford University Press, 2007.

M· Diniz Nemetios
Administrador
Administrador

Mensagens : 297
Data de inscrição : 25/03/2011
Idade : 30
Localização : Lagoa Seca, Parahyba - Brasil

http://recons-iberoceltica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em inglês:

Mensagem  M· Diniz Nemetios em Dom Maio 15, 2011 5:34 pm

Versão PDF no Scribd:
http://pt.scribd.com/doc/55450552/Lusitanian-and-Vettonian-Gods

Qualquer correção, farei logo aqui neste tópico.
Inté!

M· Diniz Nemetios
Administrador
Administrador

Mensagens : 297
Data de inscrição : 25/03/2011
Idade : 30
Localização : Lagoa Seca, Parahyba - Brasil

http://recons-iberoceltica.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum